Por mais janelas ou mais paredes?

Ano passado, fiz muitas viagens e li muitas ruas. Viagens internas e externas. A trabalho, a passeio, a reboque da alma. E foi numa dessas viagens, a uma das queridas cidades de Minas Gerais, que, de repente, me deparei com um outdoor anunciando uma consultoria e curso de preparação para porte de armas. Um outdoor num local onde, tradicionalmente, são divulgados cursos de faculdade e colégios. Logo que vi a imagem fiquei pensando: o que é que andamos reverberando e vibrando no mundo? Quais são as sementinhas que estamos plantando nesse terreno humano fértil? Quais formações têm sido valorizadas como importantes no contexto político atual? A arma é um instrumento que tem como principal premis

Quando a brincadeira vira Bullying?

Provavelmente você já ouviu a palavra bullying. Talvez já tenha sido vítima, testemunhado ou praticado uma agressão. Mas será que bullying é realmente o que você pensa? Já ouvi falas como “bullying é bobagem”, “antigamente não existia bullying, todo mundo brincava e era feliz” e outras que demonstram uma confusão entre os conceitos: brincadeira, agressão e bullying. Sem clareza, podemos banalizar atos de violência sistemática e não apoiar crianças e adolescentes que podem estar passando por isso. Esta diferenciação e as diretrizes para ações estão colocadas na Lei Nº 13.185 de 6 de novembro de 2015, que institui o Programa de combate ao Bullying e pontua as ações que caracterizam esta violên

Distanciamento social e Projeto Ruas

Nos últimos meses temos falado e ouvido sobre o distanciamento social, como nos afeta emocionalmente, como impacta a sociedade e a pergunta é como será o novo normal? Olhando pra trás, percebo que o distanciamento social não é algo tão novo, no Brasil vivemos isso desde que nascemos, exemplo é que o “desenvolvimento” da sociedade brasileira ocorreu com a ascensão dos brancos que possuíam os negros como força de trabalho escravizada ao longo de tantos anos, e mesmo após a abolição da escravatura, modos de vida muito distantes foram multiplicados. Em 2015, eu vivia um auge na minha carreira profissional e também a partir deste mesmo ano eu mergulhei na causa das pessoas em situação de rua. Ref

publicações Em Destaque
publicações Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Siga
  • Facebook Basic Square

Acesse

curta a escola

gostou da escola?

Assine nossa newsletter e receba nossa agenda e conteúdos de empatia!

contato

escoladeempatia@gmail.com
Belo Horizonte, MG, Brasil.
Copyright © 2016. Todos os direitos reservados.